Blog Mulher & Negócio liviacroce

Como identificar meus pontos fortes?

Como identificar meus pontos fortes?

Você já se avaliou em que você é bom? Não precisa ser um dom artístico para ser intimidador, mas algo que você faz muito bem!!!

Sabe aquilo que você faz muito bem? Algo que seja quase perfeito, sabe?! Em que as pessoas perguntam: “como ele faz isso tão bem?” ou “como ele consegue estar há tanto tempo fazendo isso?” O que acontece é que qualquer desempenho que fique consistentemente perto da perfeição parece quase assombroso demais para ser analisado.

O que é talento?

 

Segundo o livro: “Descubra seus pontos fortes” de Buckingham e Clifton, talento é qualquer padrão recorrente de pensamento, sensação ou comportamento que possa ser usado produtivamente. Assim, se você é instintivamente curioso, isso é um talento. Se é competitivo, isso é um talento. Se é sedutor, isso é um talento. Se é persistente, isso é um talento. Se é responsável, isso é um talento. Qualquer padrão recorrente de pensamento, sensação ou comportamento é um talento se esse padrão puder ser usado produtivamente.

Por exemplo, alguém obstinado é um talento se você se encontrar numa função onde não ceder diante de esmagadora  resistência for um pré-requisito para o sucesso – uma função de vendas, por exemplo, ou de um advogado no tribunal. Nervosismo também é um talento. Por exemplo, se ficar nervoso o levar a perguntar a si próprio “esse?”, antecipando perigos potenciais e formulando planos de contingencia. Tal tipo de perspectiva precavida pode se revelar muito produtiva numa grande variedade de funções.

Talentos: únicos e permanentes!

Você sabe o que te leva a ter esses padrões recorrentes? Se você não gosta muito de seus padrões, pode esboçar um novo desenho? As respostas podem ser:

  1. Seus padrões recorrentes são criados pelas conexões em seu cérebro
  2. Não, além de uma certa idade você não será capaz de esboçar um desenho completamente novo – seus talentos são permanentes.

 

Se eu te perguntar hoje quais são seus 5 talentos (aptidão ou capacidade natural especial)? Você saberia me responder? Muitas vezes desenvolvemos nossos talentos desde nossa infância e muitas vezes nem percebemos isso. Tem crianças que tem mais aptidão pra esportes, outros pra brinquedos que exigem coordenação motora, outros pra escrever, ou pra desenhar e assim vai. Na menor idade entre 0 e 7 anos é que desenvolvemos nosso caráter, características natas, valores e talentos. Normalmente, nas sessões de coaching que faço, quando pergunto isso, as pessoas descobrem ou redescobrem coisas de si mesma que estão adormecidas há muito tempo. É interessante como identificamos coisas boas em nós que podemos usar ao nosso favor. É de suma importância desenvolver o autoconhecimento para poder se entender e conseguir usufruir melhor sua vida.

E quando você consegue fazer essa descoberta dos seus pontos fortes e seus talentos natos, você poderá desenvolver técnicas e conhecimento. É igual como quando aprendemos a falar, precisamos aprender o significado de cada palavra pra aprendermos a nos comunicar. Então por isso, quando você está numa empresa em que você é chamado para fazer um curso de oratória, por exemplo, se caso você não tem o dom de falar – talento, você conseguirá se desenvolver melhor, contudo, não conseguirá ser um excelente orador em que todos param pra te ouvir e ficam dizendo, como ele consegue falar assim? Entende?

Em outras palavras o conhecimento factual não garantirá a excelência, você jamais se destacará na pintura se não souber que as tintas vermelha e verde, quando combinadas, criam a cor marrom. Do mesmo modo, toda a criatividade do mundo não vai ajudá-lo  a se destacar num projeto de iluminação se você não souber que as luzes vermelhas e verde, quando combinadas, não criam a cor marrom.

Já o segundo tipo de conhecimento, baseado no seu talento, baseia-se no empirismo, na sua experiencia, não é ensinado em salas de aula nem encontrado em manuais.  Ao contrário, é algo que você tem de se disciplinar para colher ao longo do caminho e conservar. Aí parte dele é prática mesmo, só vivendo e exercitando para o desenvolver cada vez mais.

Claro que todo ambiente proporciona formas de aprendizado. E para desenvolver seus pontos fortes, você deve manter-se alerta a essas oportunidades e incorporá-las ao seu desempenho.

Muitos de nós conseguimos identificar nossos talentos de forma bem precisa, mas em seguida passamos a lamentar não termos sido abençoados com outros. Assim como Salieri, o rival de Mozart no filme Amadeus, ficamos cada vez mais amargos quanto tentamos adquirir novos talentos dentro de nós e não conseguimos. Quando estamos nesse movimento, não somos as pessoas mais divertidas para se ter por perto. Por mais cursos que façamos, por mais livros que venhamos a ler, o processo ainda emperra, é árduo e não parece ir ficando mais fácil. Se algum dia se viu numa situação em que lhe cobravam ser algo que não é, você conhece a sensação, certo? Ninguém nunca passou por isso, né?

Muitas vezes acontece isso dentro das empresas, a organização não investe em recrutamento e seleção por achar que é um dinheiro malgasto e acaba contratando uma pessoa inapta para a função. Nisso, acaba tendo mais prejuízo, porque além de ter que pagar todos os direitos do trabalhador, ainda demanda tempo para selecionar e treinar outra pessoa.

Porque digo isso, muitas vezes a pessoa está desempregada a certo tempo, e quando entrevistamos ela diz o horário não tem problema, a função também não, aí quando vê, ela mesma se diz: “eu nunca devia ter pegado este emprego de venda, detesto incomodar as pessoas”. Ou diz: “não sou gerente! Gosto muito mais de fazer meu próprio trabalho do que de ser responsável pelo trabalho dos outros”.

Então devemos avaliar quais são realmente nossos pontos fortes, pois não mudamos. Simplesmente aceitamos nossos talentos e reordenamos nossas vidas em torno deles. Nós nos tornamos mais conscientes.

Hoje, você reconhecendo seus talentos, como você poderá usar isso a seu favor em seu trabalho para poder desempenhá-lo ainda melhor?

Como poderá utilizar seus talentos com a sua relação com a família, amigos e relacionamentos amorosos?

O que o seu talento faz de você uma pessoa única e estimável?

Como você poderá ganhar mais dinheiro usando seus talentos?

 

Pensamento: “Se você quer mudar sua vida para que outros possam se beneficiar de seus pontos fortes, mude seus valores. Não perca tempo tentando mudar seus talentos.”

Reflexão: Será que talento é tudo?

Nada no mundo se compara à persistência. Nem o talento; não há nada mais comum do que homens malsucedidos e com talento. Nem a genialidade; a existência de gênios não recompensados é quase um provérbio. Nem a educação; o mundo está cheio de negligenciados educados. A persistência e determinação são, por si sós, onipotentes. O slogan “não desista” já salvou e sempre salvará os problemas da raça humana.

Calvin Coolidge

 

 

Sobre o autor | Website

Lívia Croce é Coach de Líderes e Empreendedores

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!