Blog Dicas de Filmes liviacroce

Quase Deuses

Esse filme retrata uma bela história de um negro talentoso que sofreu preconceitos raciais e ainda assim lutou por melhorar a vida de pessoas com suas pesquisas.

“Quase Deuses” narra a história real de Vivien Thomas e do Dr. Alfred Blalock duas pessoas em mundos opostos, separados pela classe social e pela cor. O foco é a segregação racial praticada sem nenhum pudor na América até meados do século XX, sendo os negros discriminados, tratados como sub-raça, vivendo à margem da sociedade, impedidos de frequentar ambientes destinados aos brancos, inclusive lugares assinalados como públicos.
Vivien Thomas é um carpinteiro desempregado da cidade de Nashville, durante a Grande Depressão de 1930 ele consegue um emprego como zelador no Laboratório de Cirurgias Experimentais Vanderbilt. Em seu novo emprego, Vivien conhece o Dr. Alfred Blalock que reconhece naquele zelador um homem talentoso e capaz.
A Grande Depressão dos anos de 1930 acabou com todas as economias de Vivien e arruinou seus planos de fazer a faculdade de medicina, porém, trabalhando ao lado do Dr. Alfred, Vivien poderia aprender muito.
Em meados da década de 1940 o Dr. Alfred Blalock é promovido e se torna presidente do Departamento de Cirurgias do Hospital Universitário John Hopkins, é óbvio que o colega Vivien o acompanha para auxiliá-lo na nova missão. O primeiro grande desafio proposto é pesquisar a cura para uma doença conhecida como o caso do Bebê Azul, caracterizada por complicações cardíacas. As pesquisas avançam, mas a presença de Vivien no laboratório não é bem vista, afinal além de negro ele também não é médico.
Apesar das críticas, Dr. Alfred e Vivien mantém-se firme em seus propósitos até encontrarem uma possível cura por meio de uma intervenção cirúrgica. Juntos eles escreveram uma nova página na literatura médica, porém, todos os créditos foram para o Dr. Alfred Blalock, visto que Vivien Thomas não era médico e não passava de um negro.
Aqui poderia ser o triste fim da história de Vivien Thomas, mas, como se profetizasse o conhecido “I Have a Dream” de Martin Luther King, Vivien volta ao laboratório e com muito esforço consegue seu reconhecimento, tornando-se Diretor de Laboratório e anos mais tarde recebendo o título de Doutor Honoris Causa. Seu trabalho serviu de referência para médicos e cirurgias cardíacas, merecendo tal reconhecimento, sem jamais ter cursado medicina.
https://youtu.be/0XRTacRkxVo

Por Valdir Silva

Sobre o autor | Website

Lívia Croce é Coach de Líderes e Empreendedores

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!